21 agosto 2010

Um dos dias mais tristes da minha vida.

Hoje foi um dos dias mais tristes da minha vida. Foi o dia em que tive de levar o meu pai para uma casa de repouso ( Lar ). A decisão custou muito a tomar, pensava que podia cuidar dele mas não, tentei até ao fim por todos os meios, achei que era forte o suficiente e que de uma maneira ou outra ia cuidar dele, mas enganei-me, todos me diziam que isto tinha de acontecer mas eu não queria acreditar, disse-o em lágrimas a uma tia minha á alguns dias que se alguma vez acontecesse eu não conseguia ir la leva-lo, teria de ser outra pessoa a ir que eu não conseguia, o que ele ia pensar??? Que o estava a abandonar?? Que o estava a largar?? Que já não o queria em minha casa?? Não sei, esperava que esse dia ainda estivesse longe, mas ontem quando ele teve alta do hospital, lá fui com uma mochila com a roupa dele, preparado para o trazer, mas os médicos e a enfermeira chefe vieram falar comigo a dizer que o bicho estava a andar a mil á hora em relação aos tratamentos e que ele já estava muito debilitado e que já nem se conseguia manter em pé, como é que eu ia leva-lo para casa e cuidar dele, ele já precisa de cuidados 24 horas por dia, disseram eles.
Já não o pude trazer.
De repente chegamos á conclusão que tinha chegado a hora de recorrer a uma casa dessas, a baixinha e uma tia minha correram uma data deles aqui á volta, uns são umas vivendas escuras com as portadas e estores sempre fechados, uns autênticos depósitos de gente e isto eu recusava-me a deixar o meu pai, o assistente social do hospital de Santa Maria também tentou através de colegas que trabalham aqui na área ter alguns contactos, ligou para todos, não havia vaga em nenhum dos decentes, chegou-se á decisão final de um junto á casa da minha tia que fica mais longe, mas que tem umas condições óptimas, acompanhamento 24 horas por dia de pessoal médico, quarto individual, gente que o trata com carinho e atenção, os preços mensais para estas casas particulares são proibitivos mas queremos dar-lhe alguma dignidade neste final, alguma calma e paz de espírito.
Recusei lá ir deixa-lo, foi o meu irmão a baixinha e a minha tia, bem sei que irei agora lá sempre que puder mas não conseguiu desta primeira vez ir com ele. Custou-me tanto esta decisão de o colocar lá que só de pensar nisto me vêm as lágrimas aos olhos como uma criança, racionalmente sei que é o melhor para ele, mas custa, custa muito, tenho tentado sofrer sozinho para não afectar o resto da família, tenho tentado ser forte quando estou com eles, mas sozinho a coisa fica mais difícil.
Ás vezes penso que isto já não é vida para ele, isto não devia ser assim, é injusto,teve tantos infortúnios na vida que merecia melhor, ás vezes por muito que me custe, penso que ele deveria ir para junto da minha mãe que já esta á 30 anos á espera dele e acabar com este sofrimento, ao lado dela vai ser mais feliz com certeza, muito mais.


Deixo um conselho amigo a todos aqueles que vivem longe dos pais e quando lhe ligam para saber se está tudo bem, e eles dizem que sim, não acreditem, os velhos são lixados e não querem dar trabalho aos filhos e quando se vai a ver já é tarde de mais.

6 comentários:

Jo disse...

não é abandono por um pai num lar, é uma escolha obrigatoria por falta de outra hipotese. Nao da para ser doutra maneira com a vida normal de um adulto a trabalhar 40horas por semana. Eu nunca passei por isso mas vi a minha mae deixar a mae dela num lar.... ainda hoje nao esta convencida que foi o melhor mas realmente nao podia ser doutra maneira... teria de se desempregar para ficar em casa com ela 24horas...
Força
beijo

Paula, Tomás e Salvador disse...

Luís, do fundo do meu coração (tu que já me tens animado tantas vezes com os teus comentários lá no meu blog), deixo-te um beijinho muito sentido. E, acredita, que fizeste o que é melhor para o teu Pai. Sem te conhecer, tenho a certeza que não conseguirias fazer de outra forma. Um beijinho grande e se precisares de alguma coisa, diz! (paula.pereira1973@gmail.com)

Anónimo disse...

ai primito... é com grande tristeza que acabo de ler o teu blog. lindinho não te sintas culpado ou triste pelo que tás a fazer ao teu pai. tu no fundo sabes que vai ser o melhor para ele. tu tens o teu trabalho, a carlita tem o dela. não havia outra hipótese. eu imagino que não deve ser um a situação e decisão nada fácil, mas tens todo o apoio da tua famíla e amigos que te ajudarão. e que te adoram. aki a tua primita vai razar muito pelo teu pai, para que não sofra e para te dar todo o apoio. um beijinho muito grande do fundo do meu coração. apesar de tar longe, jamais me eskeço de voces...longe da vista, mas bem perto do coração.adoro-vos.tania.o pedro manda um abraço.

Anónimo disse...

ai primito... é com grande tristeza que acabo de ler o teu blog. lindinho não te sintas culpado ou triste pelo que tás a fazer ao teu pai. tu no fundo sabes que vai ser o melhor para ele. tu tens o teu trabalho, a carlita tem o dela. não havia outra hipótese. eu imagino que não deve ser um a situação e decisão nada fácil, mas tens todo o apoio da tua famíla e amigos que te ajudarão. e que te adoram. aki a tua primita vai razar muito pelo teu pai, para que não sofra e para te dar todo o apoio. um beijinho muito grande do fundo do meu coração. apesar de tar longe, jamais me eskeço de voces...longe da vista, mas bem perto do coração.adoro-vos.tania.o pedro manda um abraço.

Anónimo disse...

É com grande tristeza que acabo de ler o teu Blog, mais tristeza ainda pois já sabemos hoje que o teu Pai foi ter com a tua Mãe :( Acredita que sinto mesmo muito...e sei exactamente de toda essa tristeza que falas e do que sentes...a vida prega-nos partidas muito dificeis de superar...mas tu és um menino forte, tens uma familia linda que te vai dar muita força para ultrapassares estes dias e os que virão...Os teus Pais estão muito orgulhosos por terem tido um filho como tu acredita, fizeste concerteza tudo o que podias...enviei-te hoje um sms que como não estou certa que o recebeste decidi expressar o meu sentimento de tristeza pela tua Grande perda e mais uma vez disponibilizar-me para o que puder ajudar...força Luis!!!Beijinhos das tuas sobrinhas Carolina e Madalena e meus claro ;)

Rui disse...

Boas Luis, se te lembrares de um amigo de infancia, saberás como em parte consigo identificar-me com este post, por em cedo termos ficado orfãos de mãe e saber o que é crescer só com pai. Ainda não sei, felizmente, o que é deixá-lo depois num lar, o que já li, foi um acto de amor, para que ele pudesse ter os melhores cuidados neste fim de vida. Lamento a tua perda, sabendo o que é perder um dos pais, não consigo imaginar a dor, tua e a do teu irmão, daquele que mais tempo nos acompanhou no nosso crescimento.

Rui Freire